quarta-feira, 28 de maio de 2008

Georges Racz > O nascimento de uma paixão

O que dizer de uma fotografia dessas?
Bem, tem alguma coisa com seus fundamentos.

Trata-se de um instantâneo absolutamente simples, que me atraiu porque gosto de gente e de samba.
Trata-se de um instantâneo sem impacto – mas real – ninguém pousou, provavelmente não percebeu. Esta é uma esfera exclusiva da fotografia... fixar numa fração de segundo a eternidade.
Quando fotografei a futura e poderosa escola de samba, quem o diria?...

Mesmo eu, com os olhos sensibilizados pela humilde e verdadeira paixão dos que lá estavam, num tempo em que os ranchos e grandes sociedades estrelavam o carnaval.


Escola de Samba Unidos da Tijuca – Rio de Janeiro, 1961


A fotografia tem muitas funções. Mas, algumas são especiais, porque registram a história e, em outras, a mudam, como as fotos de Lewis Hine sobre as horríveis condições de trabalho infantil nos EEUU no século 19.
Claro, este singelo instantâneo não tem esta importância.
Mas, para o historiador de amanhã poderá ser uma senda.

O mais importante é que de algo sem História saiu mais uma História.

Georges Racz > Fotógrafo e cineasta, nasceu na Hungria, em 1937. Formou-se em ciências sociais pela PUC-RJ em 1964, quando começou a carreira de fotógrafo e depois cineasta. Trabalhou como professor de sociologia, fotografia, cinema e artes visuais, implantando os cursos de fotografia do Museu de Arte Moderna RJ, que coordenou entre 1972 e 1976. Foi um dos criadores do grupo Photogaleria, em 1973, do qual foi presidente, teve atuação como crítico de arte, sobretudo na revista Visão, entre 1976 e 1990. Expôs com freqüência nas décadas de 70 e 80, tendo trabalhos seus nas coleções do MAM-RJ e do Museu Nacional de Belas Artes, RJ, e do The Art Museum of Chicago (EUA). Em pesquisa do Instituto Itaú Cultural sobre a fotografia no Brasil nos séculos XIX e XX foi incluído na seleção dos 80 mais importantes fotógrafos do século XX.

Um comentário:

inaravieira disse...

Olá, estou juntando material para ilustrar o livro Dossiê Iphan 10 - matrizes do Samba do Rio de Janeiro e estou com dificuldade para encontrar fotos mais antigas. Como consigo essa e outras fotos?

Muito obrigada.

Atenciosamente,
Inara Vieira
(61) 3901-3865

Iphan - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional
www.iphan.gov.br